Estudos Biblicos

A importância e necessidade da interpretação bíblica – II

Conheçamos resumidamente cada uma destas cinco partes da Teologia. É importante que você as assimile. A Teologia Exegética se ocupa dos métodos hermenêuticos a fim de poder descobrir o sentido real do texto bíblico. Em outras palavras, ela usa os recursos fornecidos pela própria hermenêutica para fazer esta descoberta. A Teologia Exegética utilizará para isto a filologia sacra, i.e., o estudo das línguas originais em que a Bíblia foi escrita: o Hebraico, o Aramaico e o Grego. Considera também a matéria chamada de Introdução Bíblica que fornece os primeiros conhecimentos sobre a Bíblia, preparando assim o estudante para iniciar no estudo teológico. Justamente por isso, esta matéria, Introdução Bíblica, que faz parte da Teologia Exegética, tem sido chamada de Isagoge Bíblica, pois o termo Isagoge vem do grego e significa justamente “conduzir para dentro”, “introduzir”, “introdução”.

 

A Teologia Histórica irá lançar mão dos posicionamentos históricos teológicos, como o próprio nome da disciplina sugere – Histórica. Este lançar mão dos posicionamentos históricos teológicos inclui uma abordagem sobre os afastamentos doutrinários promovidos por movimentos sectários, como o arianismo, o ebionismo, o eutiquianismo, etc. A Teologia Histórica lança mão da História da Igreja, História das Missões, História das Doutrinas, dos Credos e das Confissões.

 

A Teologia Bíblica por sua vez, como o próprio nome sugere, irá analisar a Bíblia em si mesma, i.e., considera a teologia exposta e desenvolvida nos livros bíblicos, desde o Gênesis até o Apocalipse. Desse modo, estuda-se a Teologia do Antigo Testamento e a Teologia do Novo Testamento.

A Teologia Sistemática por sua vez consiste num conjunto de matérias ou disciplinas teológicas, que seguem um esquema sequencial, lógico, ordenado, “sistemático”. Uma matéria complementa a outra num ciclo teológico de doutrinas bíblicas. Ela compreende o estudo da Pessoa do Pai (teontologia, teologia ou teologia própria), do Filho (cristologia), do Espírito Santo (pneumagiologia, paracletologia ou pneumatologia), a doutrina da salvação (soteriologia), a doutrina do homem (antropologia), a doutrina do pecado (hamartiologia), a doutrina das coisas futuras (escatologia) e assim por diante. É fundamental conhecer a Teologia Sistemática, pois ela ordena o conjunto de verdades teológicas reveladas na Palavra de Deus.

 

Por fim, temos a Teologia Prática que procura trazer para a realidade vivencial aquilo que se obteve como resultado da análise e investigação teológica. É a teologia posta em prática. A teologia prática inclui disciplinas como homilética, que trata da preparação e exposição de sermões, organização e liderança, administração eclesiástica, liturgia dos cultos, a pedagogia cristã e etc.

Para concluir, a hermenêutica está no campo da teologia exegética, que trata da compreensão das Sagradas Escrituras. É importante que você fixe isso em sua memória.

 

III. A NECESSIDADE DA INTERPRETAÇÃO BÍBLICA

Passamos a apresentar algumas premissas que justificam a hermenêutica como uma necessidade para se compreender adequadamente a Palavra de Deus. Uma premissa é um “fato ou princípio que serve de base à conclusão de um raciocínio” (Aurélio). Tal definição provoca-nos uma inquietação: Nossas conclusões ante a Bíblia Sagrada suportam uma análise hermenêutica?

 

Primeira Premissa: Deus se Revelou!

A primeira premissa básica que apresento aqui como necessidade para a interpretação bíblica é que Deus se revelou à humanidade e essa revelação, consequentemente, precisa ser compreendida, precisa ser interpretada. Deus se revela aos homens através das Sagradas Escrituras e Ele também se revelou em Cristo, “O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da Majestade, nas alturas” (Hb 1.3 – ARC). Cristo é a revelação máxima de Deus aos homens – Cristo é o ápice da revelação divina. Mas Cristo também está descrito nas Escrituras e por elas nos é comunicado; sendo assim, é necessário compreender as Escrituras para compreender Cristo, uma vez que Cristo e as Escrituras estão intimamente relacionados. É o que Ele mesmo afirma e o evangelista João corrobora (cf. nessa ordem: Jo 5.39 e Jo 1.1,14). Sem a compreensão correta das verdades bíblicas jamais poderemos nos manter como Igreja de Cristo, pura, santa e aguardando o retorno do Noivo. Somente em Cristo é que podemos então compreender corretamente aquilo que Deus mostra-nos em Sua Palavra. Cristo é a chave principal da hermenêutica bíblica, pois a Bíblia toda se cumpre em Cristo. Ele mesmo declara isto: “A seguir, Jesus lhes disse: São estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” (Lc 24.44). Quando dizemos que Deus se revelou estamos inevitavelmente afirmando que Deus deseja ser conhecido pelo homem, compreendido pelo homem, “interpretado” pelo homem! A própria revelação de Deus por si só subentende isso. Mas isso, é claro, dentro do que DEle podemos conhecer, daquilo que a nós Ele comunicou sobre Si mesmo, afinal de contas, sabemos que o finito não pode conhecer o Infinito e que o limitado não pode compreender plenamente (plenamente) o Ilimitado e o mortal sondar “aquele que tem, ele só, a imortalidade e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver; ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém!” (1 Tm 6.16). Estou convencido de que em grande parte, a pregação dita evangélica não conduz às pessoas à Cristo, a conhecê-lo de fato. Nesse momento, a hermenêutica presta relevante serviço quando nos permite conhecer melhor as Escrituras. É mesmo uma pena que tantos ignorem o estudo sério, dedicado, “hermenêutico” das Sagradas Escrituras…

 

Segunda Premissa: O Pecado

O pecado afetou a humanidade em todos os sentidos. Até a própria natureza sofre por causa do pecado: “Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora” (Rm 8.22). A própria criação aguarda a libertação do pecado, que só será realizada pelo Criador, o Senhor, na consumação de todas as coisas. O pecado, portanto, tem um efeito destrutivo sobre toda a criação. A humanidade é descrita algumas vezes nas escrituras como estando cega para entender a comunicação de Deus à ela. Expressões como “tempos da ignorância”, “trevas”, “obscurecidos de entendimento”, “coração insensato” e assim por diante (cf. At 17.30; Rm 1.21; Ef 4.18) evidenciam a dificuldade dos homens em compreender a revelação de Deus por causa da presença do pecado, embora isso não os torne isentos de responsabilidade diante de Deus! (leia Romanos 1). É aqui que passamos a considerar a importância vital do Espírito Santo no trabalho de fazer hermenêutica bíblica. Uma vez que acabamos de entender que o pecado nos obscurece o entendimento das Sagradas Escrituras, o Espírito Santo no entanto, age como O Iluminador das Sagradas Escrituras para nós, abrindo-nos caminho na revelação divina contida na Bíblia. Isso é depreendido das palavras de Jesus em João 14.17: “o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco e estará em vós” (ARC). Neste texto, como vemos, o Espírito Santo é chamado de Espírito da Verdade, isto por causa da sua ação no sentido de promover a verdade de Deus entre os homens, torná-la conhecida aos homens. Também lemos no versículo oito do mesmo capítulo: “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo”. Este convencimento só pode vir mediante a compreensão da revelação de Deus aos homens. Desse modo, o hermeneuta deve sempre depender do Espírito Santo para compreender corretamente a Bíblia. É Ele que nos guia nesta jornada do conhecimento das verdades divinas, abrindo nosso entendimento para recebê-las. Desse modo, o hermeneuta deve ser também humilde e sincero e ter o coração aberto para compreender a Bíblia.

 

Terceira Premissa: As Dificuldades Próprias da Bíblia

Deve o estudante da Bíblia levar em consideração que a Bíblia foi escrita num tempo muito distante do nosso, por pessoas que viviam numa cultura e contextos muito diferentes dos nossos e em línguas também distintas da nossa. Estes fatores por si só constituem-se em grandes dificuldades para a compreensão correta da Bíblia. Elementos culturais que são encontrados em abundância no texto bíblico são para nós muitas vezes estranhos e se não os conhecermos adequadamente acabamos ficando impedidos de entender qual o real sentido de determinada passagem bíblica em que esses elementos culturais aparecem. Um exemplo disto temos em Mateus 18.23-35 na parábola contada por Jesus sobre o credor incompassivo. Quando descobrimos que dez mil talentos correspondem a uma soma de dinheiro incrivelmente superior à cem denários, entendemos que o que Jesus está ensinando na verdade é que Deus nos perdoou de maneira muito maior do que imaginamos e mesmo assim, muitas vezes, não perdoamos ao nosso irmão, numa falha incomparavelmente menor! Na Bíblia encontramos referências a hábitos, lugares, ritos religiosos, partidos religiosos, moedas da época (ou porque não dizer “o dinheiro da época?”) e assim por diante. Encontramos na Bíblia uma estrutura literária também diferente da nossa e que precisa ser compreendida. A Bíblia é singular neste sentido. O que é uma metáfora? Um tipo? Uma parábola? Um hebraísmo? Enfim, são recursos próprios da literatura bíblica que precisam ser conhecidos pelo estudante da Bíblia. Aí está o papel da hermenêutica: fornecer os elementos necessários para a assimilação destes recursos literários.

 

Quarta Premissa: O Escritor e o Leitor no Contexto Bíblico

Nesta quarta e última premissa básica que apresentamos como justificativa para a necessidade da hermenêutica consideraremos o escritor bíblico e o leitor de seu tempo, isto é, o destinatário para quem os escritores bíblicos estavam direcionando seus textos. Este é um fator importantíssimo para se compreender corretamente os textos sagrados. Embora saibamos que a Bíblia se aplica a qualquer povo e em qualquer época (ela é supracultural), quando entendemos o porquê de determinado escritor bíblico ter escrito o que escreveu e para quem está escrevendo e em que circunstâncias, passamos a compreender mais profundamente a mensagem daquele texto. Tome como exemplo os capítulos dois e três de Apocalipse, que contém as sete cartas do Senhor Jesus endereçadas às sete igrejas da Ásia. Cada carta, cada igreja e cada anjo de cada uma das sete igrejas estão enfrentando suas próprias dificuldades, seus dilemas, suas deficiências e eles tem também suas qualidades positivas e méritos e cada igreja está inserida em um contexto cultural e social específico. Tudo isso no tempo de João, o apóstolo. Ao conhecer estes elementos, o leitor da Bíblia passa a compreender porque João está dizendo o que está dizendo. A partir daí, ele logo perceberá o quanto o texto bíblico simplesmente faz todo o sentido de ser como é, de estar escrito como está!

Tags

101 Comments

  1. Greetings! This is my first comment here so I just
    wanted to give a quick shout out and say I really enjoy reading through your posts.
    Can you recommend any other blogs/websites/forums
    that cover the same subjects? Thanks a ton!

  2. Its such as you read my mind! You appear to know so much about
    this, such as you wrote the ebook in it or something.
    I believe that you just could do with a few p.c. to force the
    message home a little bit, but other than that, that is fantastic blog.
    A great read. I’ll certainly be back.

  3. Hi, i read your blog from time to time and i own a similar one and i was just curious if you get a lot of
    spam remarks? If so how do you reduce it, any plugin or anything you can recommend?

    I get so much lately it’s driving me insane so any support is very much
    appreciated.

  4. Great blog! Is your theme custom made or did you download it from somewhere?
    A theme like yours with a few simple tweeks would really
    make my blog jump out. Please let me know where you got your theme.
    With thanks

  5. Definitely believe that which you stated. Your favorite
    justification appeared to be on the internet the simplest thing to
    be aware of. I say to you, I definitely get annoyed while people think about worries that they plainly do
    not know about. You managed to hit the nail upon the top and defined out the whole thing without
    having side effect , people could take a signal. Will likely be back to get more.
    Thanks

  6. Good post but I was wondering if you could write a litte more on this subject?
    I’d be very thankful if you could elaborate a little bit further.
    Many thanks!

  7. Terrific work! That is the type of info that should be shared around the internet. Disgrace on Google for now not positioning this post upper! Come on over and consult with my website . Thank you =)|

  8. I blog often and I genuinely thank you for your content.

    The article has really peaked my interest. I am going to bookmark your
    blog and keep checking for new information about once a week.
    I subscribed to your Feed as well.

  9. I love your blog.. very nice colors & theme. Did you make this website yourself or did you hire someone to do it for you? Plz reply as I’m looking to construct my own blog and would like to find out where u got this from. thanks a lot|

  10. Thanks a bunch for sharing this with all people you really recognize what you are talking about! Bookmarked. Kindly additionally visit my site =). We could have a link exchange agreement between us|

  11. First of all I would like to say terrific blog! I had a quick question in which I’d like to ask if you do not mind. I was interested to know how you center yourself and clear your mind prior to writing. I have had trouble clearing my mind in getting my ideas out there. I truly do take pleasure in writing but it just seems like the first 10 to 15 minutes are generally lost just trying to figure out how to begin. Any suggestions or tips? Appreciate it!|

  12. Wow that was strange. I just wrote an really long comment but after I clicked submit my comment didn’t appear. Grrrr… well I’m not writing all that over again. Anyway, just wanted to say excellent blog!|

  13. I’m really enjoying the design and layout of your blog. It’s a very easy on the eyes which makes it much more enjoyable for me to come here and visit more often. Did you hire out a designer to create your theme? Outstanding work!|

  14. I need to to thank you for this very good read!!
    I certainly loved every bit of it. I have got you saved as a favorite to
    check out new stuff you post…

  15. Having read this I believed it was rather enlightening. I appreciate you finding the time and effort to put this information together. I once again find myself spending a significant amount of time both reading and posting comments. But so what, it was still worthwhile!|

  16. Pingback: my sex games com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker