Estudos Biblicos

A importância e necessidade da interpretação bíblica – III

III – DIFERENCIANDO HERMENÊUTICA E EXEGESE

O termo “hermenêutica” deriva do verbo grego hermeneuein, usualmente traduzido por “interpretar”, e do substantivo hermeneia (ermeneia), que significa “interpretação”.

A palavra “exegese”, do grego eksegesis de eksegeomai (exhgeomai) significa “explicar, interpretar, contar, descrever, relatar”.

Hermenêutica Bíblica: é a disciplina da teologia exegética que ensina as regras para interpretar as Escrituras e a maneira de aplicá-las corretamente. É a ciência da compreensão de textos bíblicos.

Exegese: é a aplicação dos princípios hermenêuticos para chegar a um entendimento correto sobre o texto. É o estudo do sentido literal do texto. É a ciência da interpretação. É a extração dos pensamentos que assistiam ao escritor ao redigir determinado documento. Na exegese o exame do texto é feito para extrair entendimento e não incutir no texto o seu entendimento (eisegese).

Hermenêutica Bíblica: Analisa o sentido que o texto tem hoje para nós.

Exegese: Procura estudar o sentido que o autor quis atribuir ao texto sagrado.

 

IV – AS REGRAS DA HERMENÊUTICA

A seguir, temos uma lista com as principais regras da hermenêutica bíblica alistadas pelo teólogo Valtencir Alves:

Regra Fundamental (Primeira Regra)

A Escritura explicada pela Escritura, ou seja: a Bíblia, sua própria intérprete.

Segunda Regra

É necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.

Terceira Regra

É necessário tomar a frase no sentido indicado no contexto, a saber, os versículos que precedem e seguem ao texto que se estuda.

Quarta Regra

É preciso tomar em consideração o objetivo ou desígnio do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras.

Quinta Regra

É necessário consultar as passagens paralelas.

Quinta Regra – Segunda Parte

Paralelos de ideias.

Para conseguir a ideia completa e exata do que ensina a Escritura neste ou naquele texto determinado, talvez obscuro ou discutível, consultam-se não só as palavras paralelas, mas os ensinos, as narrativas e fatos contidos em textos ou passagens aclaratórios que se relacionem com o dito texto obscuro ou discutível. Tais textos ou passagens chamam-se paralelos de ideias.

Quinta Regra – Terceira Parte

Paralelos de ensinos gerais

Para a aclaração e correta interpretação de determinadas passagens não são suficientes os paralelos de palavras e idéias; é preciso recorrer ao teor geral, ou seja, aos ensinos gerais das Escrituras.

 

CONCLUSÃO

Você está iniciando o estudo da hermenêutica nesta apostila e por isso, sugiro que você já comece seu estudo desta ciência maravilhosa fazendo a pergunta que Filipe fez ao eunuco, mas fazê-la a si mesmo. Filipe perguntou ao eunuco: “Entendes tu o que lês?” (At 8.30). Pergunte a você mesmo: “Eu entendo o que estou lendo?” Filipe mostra-nos hoje um dos princípios básicos para se estudar hermenêutica: entender o que estamos lendo. O objeto da nossa leitura é a Palavra de Deus e desse modo, estamos desejosos de entender a Bíblia, a mensagem de Deus para nós!

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker