Estudos BiblicosSe alimentando da Palavra

A luz, o farol e o faroleiro.

Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.

Uns dos fatos mais interessantes do Evangelho de Jesus à qual escreveu João é a forma como ele separa e enfatiza ditos do próprio Cristo em caráter de comparação.

Podemos perceber que desde o primeiro capitulo ao vigésimo primeiro, existe uma ou mais referencias comparando a Cristo a algo; quando não explicito, pode-se o fazer em caráter interpretativo. Utilizando do mesmo mecanismo, quero comparar a igreja como o primeiro farol construído no mundo; onde foi construído em 280 a.C, na ilha de faros, cidade de Alexandria, no Egito, durante o governo do rei Ptolomeu.

 

O farol servia para orientar os navegantes durante a noite, irradiando um faixo de luz que alcançará a distância de 50km. Durante a noite, a chamada era alimentada com óleo e de dia, pelos raios solares que eram refletidos por meio de ferro ou bronze polido.

 

No capitulo 5 de Mateus, em seu versículo 14; Jesus transfere a mesma responsabilidade de ser luz aos fundadores da igreja primitiva, orientando-as a guardarem seus ensinamentos minuciosamente a ponto de ser observado por todos.

 

A igreja como o farol; em suas semelhanças tem haver com a direção que se dá a outrem. Os faróis eram usados para orientação dos navegantes; A igreja da mesma maneira tem a responsabilidade de orientar, dar a direção. De duas maneiras o antigo farol refletia a sua luz; de dia era por metais polidos e de noite por uma grande candeia cheia de óleo. A igreja pode-se pensar da mesma maneira, quando estamos polidos (limpos), pois refletimos a luz emanada por Cristo.

Mas para vós, os que temeis o meu nome, nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. Malaquias 4:2

Da mesma maneira quando estamos cheio de óleo, que na bíblia tipifica o Espirito Santo. Muitos homens e mulheres que estão sem direção nesse mundo dependem da luz de Cristo em sua vida e a igreja (você) tem a responsabilidade dada por Deus de refletir essa luz.

 

Às vezes nos perguntamos: “como podemos refletir essa luz? Como cumprir essa responsabilidade se ainda não tenho condições?”.

O faroleiro tinha uma responsabilidade. Ele ficava incumbido de limpar as placas de ferro e bronze e de trocar e abastecer as candeias de óleo. Também era responsável de avisar possíveis perigos nas costas perto da ilha aos navegantes e alarmar a ilha caso houvesse algum naufrago; esse era o faroleiro!

 

O Espirito Santo, em similar posição, nos toca e nos orienta a respeito de nossa integridade moral e espiritual (nos limpa), ele nos avisa caso haja algum perigo que podem nos afastar de Deus, também nos toca para ajudarmos as pessoas que precisam.

 

Conclusão:

Confie no faroleiro (Espirito Santo), então terá total condições de refletir a luz de Cristo.

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker