DevocionaisEsboços e Pregações

As dificuldades da corrida cristã

As dificuldades da corrida cristã

 

 

A corrida cristã não é um passeio, mas, ao contrário, uma corrida exigente e extenuante, às vezes até agoniante. É necessário um enorme esforço para concluí-la bem.

 

 

É possível que você já tenha notado que alguns não a concluem, não é? Certamente já observou que há muitos à beira da pista. Eles estavam correndo. Houve um tempo em que mantinham o passo. Mas então o cansaço tomou conta. Eles não achavam que a corrida seria tão dura. Ou desanimaram diante de uma contusão ou ficaram intimidados por outro corredor. Seja qual for a razão, eles não correm mais. Podem ser cristãos. Podem ir à igreja. Podem fazer alguma contribuição e esquentar o banco, mas o coração deles não está mais na corrida. Eles se aposentaram antes da hora. A não ser que algo mude, seu melhor esforço terá sido o primeiro esforço, e eles terminarão com uma queixa.

 

Por outro lado, a melhor obra de Jesus foi sua obra final, e seu passo mais forte foi o último. Nosso Mestre é o exemplo clássico de alguém que resistiu. O escritor de Hebreus afirma que Jesus “suportou tamanha oposição dos pecados contra si mesmo”(Hb 12.3). A ideia de que Jesus suportou deixa implícita a ideia de que ele poderia ter “cedido”. O corredor poderia ter desistido, ter sentado, ido para casa. Poderia ter abandonado a corrida. Mas ele não o fez. Ele “suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo”.

 

Deus nunca promete nos tirar de nossas dificuldades. Ele, porém, promete, sim, mudar a maneira como olhamos para elas. O apóstolo Paulo dedica um parágrafo para fazer a lista dos sacos de lixo: problemas, angústias, perseguições, fome, nudez, perigo e morte violenta. Essas são verdadeiras caçambas de dificuldades das quais esperamos escapar. Paulo, porém, declara o valor delas. “Em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Rm 8.37). Gostaríamos de usar outra preposição ou advérbio. Escolheríamos “exceto todas estas coisas”, “longe de todas estas coisas” ou até mesmo “sem todas estas coisas”. Mas Paulo diz “em todas estas coisas”. A solução não é evitar o problema, mas mudar a maneira como o enxergamos.

Deus pode corrigir a sua visão.

 

 

 

 

Max Lucado

Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker