Devocionais

Tente outra vez

Parece clichê de frases e livros de autoajuda, porém, vai muito além disso. O livro sagrado expõe de maneira clara e concisa, historias de pessoas que venceram grandes dificuldades, rompendo obstáculos e quebrando paradigmas outrora inquebráveis.

A bíblia é recheada de milagres e maravilhas, pessoas que venceram a fome, a sede, animais selvagens e intempéries da vida, contudo, o tente outra vez não se trata de vencer e sim de persistir, não relata a historia de quem entrou em desvantagem na guerra e saiu vencedor, ou ainda, esgotou o suor de suas glândulas sudoríparas plantando e não conseguindo colher frutos de sua semeadura o tente outra vez, é para você que quanto mais esforço faz mais se afunda, quanto mais batalha mais fracassa, quanto mais luta mais perde.

O livro de juízes nos capitulo 19 e 20 retrata a historia de um levita, que ao buscar sua concubina, decide retornar para sua casa já tarde da noite escolhe uma cidade israelita para pernoitar, uma vez que, sentia seguro junto aos seus irmãos. Chegando então na cidade/tribo de Benjamim não encontrou as instalações que esperava, ele então, dirigiu-se a praça e lá se abrigou. Vendo, pois, um senhor que passara pelo local, a presença do levita, deslocado e confuso na praça o oferece abrigo, para ele, sua concubina, seus servos e animais. O coração do levita se enche de gozo e confirmação de que valeu a pena caminhar um pouco mais no escuro e frio tempo, haja vista, que agora acolhido, estava em segurança.

Instantes, após, sua acomodação na casa do nobre senhor, já imaginando como compensa-lo pela hospitalidade, ele ouve uma batida, na porta da casa na qual esta alojado, e pela expressão apavorada no rosto do nobre senhor, conclui que algo esta errado e se questiona. O que um senhor tão nobre teria feito para causar a ira de tantos homens da tribo de benjamim? Teria ele se enganado quanto ao julgamento feito sobre a personalidade daquele anfitrião? Em pouco tempo descobre que seu julgamento estava correto, o senhor de fato é um homem de bom coração. A cidade que escolhera como porto seguro é que o fez entristecer, uma vez que, o coração dos benjamitas estavam encolerizados pelo pecado, sendo suas praticas semelhantes, ou piores, que as vividas nos tempos de Ló em Sodoma e Gomorra. O que os homens enfurecidos desejavam era conhece-lo( possuindo seu corpo).

Na tentativa de mediar o conflito, o patriarca-anfitrião- oferece sua filha virgem mais a concubina do levita, em troca da segurança do seu hospede. Na luta par se chegar a um acordo, entre tantos agarra e solta, a concubina é pega pelos benjamitas e levada, para escura e fria noite da tribo de benjamim. Dentro da casa sofre o levita, fora sua concubina, sendo possível ouvir seus gritos de dor e medo.

A palavra dos antigos transcrita pelo posterior rei de Israel consolava o Levita- o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem ao amanhecer. Crendo na mesma palavra à concubina chorando de dor, olha para o reflexo do seu rosto na água e pede ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó que aquela noite passe logo. As nuvens carregadas tapam o brilho refletido da lua, o vento que poderia sopra-las é covarde demais para executar tal ação. O sol esperando sua hora não quis nascer prematuro, esperando ouvir no escuro, de cima do muro, um galo cantar, anunciando a sua presença, enquanto isso, a menina, que foi feita concubina, perdia sua inocência com dor, porque o galo que se calou insistiu em não cantar.

Quis Deus o pai, fazer a terra ligeiramente redonda, para o tempo passar… E passou.

Na segurança do dia sai o levita e encontra sua menina, concubina, na porta do lar jogada, correndo ele a abraça e começa chorar, o choro do levita não foi pela noite, que brilhantemente, como uma guerreira sua menina passou,na mais dura prova que a vida lhe fez passar, mas pela covardia do folego de vida que não esperou o sol raiar, matando seus sonhos naquele lugar, porque a sua menina nunca mais sua vida ia alegrar.

Com coração triste e angustiado o corpo desalmado é levado pelo levita e partido em 12, distribuído conforme as tribos de Israel. A revolta toma conta de todos, que como, uma só voz, repudia o que aconteceu em benjamim, e como resposta exige que os culpados sejam entregues para que esse mal fosse extinto do meio do povo de israel. A resposta para essa petição é negativa, a tribo de benjamim confia no seu exército, para os livrar, contavam com 700 canhotos que lançavam pedras e não se via erro em seus lançamentos, tamanha precisão os possibilitavam acertar um fio de cabelo.

As 11 tribos revoltadas com a resposta da tribo de Benjamim consultam a Deus – a arca do conselho ainda estava lá- para saber se deviam e quem deveria liderar uma guerra contra um dos seus irmãos. A resposta de Deus é positiva e Judá deveria liderar o primeiro ataque. Quando Deus fala vai ele garante a vitória. Certo? Certo. O tempo do homem e o tempo de Deus é que diverge, a tribo de Judá lidera o ataque contra a tribo de Benjamim e é um fracasso, mais de 22 mil guerreiros morrem. A tribo de Judá volta a consultar a Deus se deve continuar guerreando contra seus irmãos benjamitas, e novamente a resposta de Deus é positiva. A guerra se dá de forma firme e violenta e novamente Judá sai derrotado com mais 18 mil guerreiros mortos na guerra.

Este texto nos coloca diante de alguns pontos de reflexão; 40 mil vidas por uma concubina? Será que é Deus mesmo que está falando ou isso é interesse dos levitas, já que os levitas são os responsáveis pela fé do povo, pela proximidade com Deus e um dos seus foi o atingido. Eu disse no começo do texto o Tente outra vez não é para você que está plantando, mas colhendo pouco, também não é para você que está plantando, mas não está colhendo o Tente Outra Vez é para você que está batalhando todos os dias e cada dia perde alguma coisa, é para você que está buscando a Deus de dia, noite e madrugada e não vê Deus agir, é para você que por mais que estuda não consegue passar em nenhum concurso e vive “perdendo” dinheiro, é para você que, por mais que queira agradar sua mulher ou seu marido, não recebe um obrigado no final do dia…meu conselho para você é Tente outra Vez.

Diante de tantos lutos, choros e pedidos os filhos de Israel tornam a consultar ao Senhor e a resposta que obtém foi Vai que hoje eu entrego o inimigo na sua mão. Os filhos de Israel tornaram a lutar contra a tribo de Benjamim, e desta vez saíram vitoriosos, pelo poder de Deus, que entregou o inimigo em suas mãos.

Meu querido irmão, minha querida irmã, Deus prova a fé dos seus filhos. Se o povo desistisse na primeira ou segunda vez jamais saberiam o que era a Vitória. A vitória esperada, suada, merecida, e principalmente, reconhecida. Após aquela guerra o povo teve mais uma prova de quem era o Deus de Abraão, Isaque e Jacó.

O mundo passa por momentos loucos e proféticos, desistir sempre parece uma opção, mas a palavra do Senhor continua sendo Tente outra Vez… Como disse o salmista:

“uns confiam em carros e outros em cavalos nós porém fazemos menção do nome do Senhor, uns encurvam-se e caem mas nós nos levantamos e estamos de pé. Graça e paz de Cristo.”

Tags

Colaborador IDE

Usuários especial para pessoas que queiram compartilhar conteúdo em nossos sites e em nosso aplicativo. O conteúdo é avaliado e postado, colocar informações para contato pessoal é decisão do colaborador.
Close

Adblock Detected

Please consider supporting us by disabling your ad blocker